• Cecilia Leite

Saturno e Plutão juntos

Muitos já sabem que no início do ano que vem teremos uma conjunção exata entre Plutão e Saturno em Capricórnio. Na realidade, os efeitos desse grande acontecimento já vêm sendo sentidos durante esse ano, pois esses dois planetas já se aproximaram antes de ambos entrarem em movimento retrógrado, e na época dessa aproximação, junto deles também estava o nodo lunar sul, marcando ainda mais esse momento.


Agora, com os dois planetas novamente em curso direto, Saturno começa a chegar mais próximo de Plutão novamente, e em janeiro de 2020 eles se encontrarão no grau 22° de Capricórnio. Dois dias antes dessa conjunção, teremos um eclipse no grau 20°, praticamente em cima. Ou seja, de uma maneira ou de outra, será um evento marcante. Quem possui planetas pessoais próximos a esses graus de Capricórnio (e possivelmente também de Câncer, Libra e Áries) certamente irá sentir, e já vem sentindo, os efeitos desse encontro planetário com mais intensidade, mas de alguma forma todos receberão esse impacto.


Muito se tem falado sobre os acontecimentos marcados por essa conjunção a nível mundial, que já se fazem perceber, mas aqui eu gostaria de explorar o aspecto interno individual, até porque toda mudança que acontece em uma esfera mundial ou social, começa com a mudança de consciência e de comportamento dentro de cada indivíduo.


Escrevi um texto há um tempo atrás sobre o que são as transformações trazidas por Plutão (No reino de Hades...), e sugiro que voltem a ele para captar o significado profundo que um trânsito deste planeta pode conter. Quando falamos que Plutão transforma, regenera, exige que se despeça do velho para iniciar algo novo, muitas vezes não fica claro como esse processo pode ser complexo. Hoje em dia muito se utiliza palavras como desapego, deixar ir, finalizar ciclos, que pode se perder o profundo sentido que isso tem. As palavras podem se tornar vazias e superficiais, esvaziadas do conteúdo psíquico que carregam.


Finalizar um ciclo não é tão trivial como pode parecer. Por mais que a situação se encerre externamente, por vezes carregamos por anos e anos as marcas daquilo dentro de nós. Um casamento pode acabar e ainda assim permanecermos ligados ao outro por décadas. Podemos achar que uma situação desafiadora para nós está resolvida, mas no fundo só aprendemos um jeito de fugir, de burlar, de dar a volta no problema. A mágoa que nos habita muitas vezes está lá quietinha, bem disfarçada, e juramos que esse assunto já foi superado... Enfim, carregamos dentro de nós várias situações agonizantes, muitas das quais temos dificuldade até de reconhecer que ainda existem.


Mas Plutão exige a dissolução, completa. Morte é morte. Colocar um ponto final em qualquer coisa pode ser altamente desafiador. Ficamos cara a cara com o desconhecido, com a insegurança total. O medo pode tomar conta. Em algumas vezes o sentimento é quase insuportável, dilacerante, tão assustador que queremos evitar a qualquer custo. Vem a vontade de não encarar, mas Plutão está ali para expurgar o que não é... Para que surja o que é, precisamos deixar ir tudo aquilo que está apenas encobrindo a verdadeira essência da questão. É preciso expor as feridas para que elas possam cicatrizar. Mas a dor é tanta que ficamos paralisados... E nos protegemos... Mas continua doendo... Às vezes é necessária uma força maior para catalisar o processo, e é esse o poder de Plutão.


Existem fantasmas que carregamos por uma vida. E digo fantasmas porque eles nos assombram sem muitas vezes serem de fato uma situação concreta. Muitos vivem na sombra, tão bem escondidos que é até difícil para nós perceber que eles estão ali. E um trânsito de Plutão serve para isso... Para trazer esse conteúdo à tona, para ser visto e curado.


E Saturno? Também tem texto bem antigo sobre ele (Saturno, o senhor do tempo). Esse é o planeta que consolida, materializa nesta dimensão. Mas para isso testa, dá limites, exige competência. Com Saturno não dá para escapar, precisa haver compromisso, ele não nos dá saída. Muitas vezes é na sensação de falta e de restrição que nos sentimos compelidos a seguir adiante. Mas ele estrutura o processo, garante os resultados para quem segue suas regras.


Ou seja, com esses dois juntos não temos muita saída. Sentimos a pressão e somos convidados a fazer uma reforma estrutural em nosso ser. Provavelmente medos aflorarão. Medos inconscientes trazidos das profundezas por Plutão, e medos concretos colocados a nossa frente por Saturno. Quem tem pontos fortes no seu Mapa Natal próximos a essa conjunção, pode ter aquela famosa sensação de não vou aguentar... A sensação de que está se perdendo o chão, se dilacerando por dentro... E, quando o terror quiser tomar conta, é preciso lembrar que isso é a lagarta saindo do casulo. Um mundo totalmente novo se abrindo, uma nova forma de viver se apresentando.


Plutão e Saturno são planetas que falam de controle, justamente pela profundidade com que nos afetam. Sabemos que irão mexer nas nossas bases, então procuramos nos segurar firmes para manter o controle do processo. Mas a chave aqui é justamente não resistir... Quanto mais resistência colocamos, mais sentimos que somos arrastados. Entregar-se para o fluxo dos acontecimentos pode facilitar as coisas. Isso significa estar sempre atento aos sinais que o Universo nos manda, através de sensações, sentimentos, sonhos, e até pessoas e situações no nosso caminho.


O momento é de reforma e estruturação, rompimento com um velho padrão. O antigo nos é conhecido, e mesmo que contenha uma certa dose de inércia, e até de sofrimento, pode nos trazer um conforto por não termos que encarar uma transformação profunda. Ficamos com o que nos é familiar, ainda que dolorido. Para termos o impulso da mudança muitas vezes é preciso que nos sintamos extremamente incomodados com o que se apresenta. E é isso que esses trânsitos podem fazer... Trazer para a superfície todo o nosso descontentamento com a situação vigente, para que tenhamos a coragem de modificá-la.


Para saber como essa conjunção irá afetar cada um pessoalmente, deve-se olhar a casa do mapa onde ela ocorrerá, que será o setor da vida diretamente afetado por ela. E também a situação desses planetas no Mapa Natal, por signo, casa e aspectos, que darão indícios de como eles agem individualmente e o que poderão trazer em trânsito. Também vale a pena olhar as casas onde se tem Escorpião, Capricórnio e Aquário, que indiretamente sentirão os impactos dessas transformações. Ao fazer essa análise, é importante pensar profundamente sobre todos esses temas em nossa vida, com muita honestidade. Observar e sentir, são as melhores de formas de compreender como a Astrologia funciona em nós.


E, por que estou escrevendo sobre isso agora, se essa conjunção exata só ocorrerá em janeiro do ano que vem? Porque já estamos sentindo seus efeitos desde já, e porque quanto maior a consciência que estivermos sobre o que está se passando, melhor poderemos aproveitar esse momento. Começar a meditar profundamente sobre o impacto desse trânsito em nós, pode nos dar valiosas pistas sobre como reconduzir a rota das nossas vidas. Enxergar as feridas que temos, perceber o peso desnecessário que estamos carregando, pode não ser fácil a princípio, mas é a chance de libertar muita coisa e começar um novo capítulo na nossa história.

176 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo