• Cecilia Leite

Sobre Peixes...


E chegamos ao final da roda zodiacal... A jornada que se inicia em Áries, e vai passo a passo angariando experiências e ganhando consciência, finalmente chega à sua conclusão. E assim, se em Áries nossa individualidade nasce, em Peixes ela se desfaz. Por isso, esse é um signo ligado à transcendência.


Mas isso significa que Peixes é então o signo mais evoluído?

Essa uma questão que sempre escuto e que percebo que está em envolta em muitos equívocos.

Não existe signo melhor, ou signo pior. Todos representam uma faceta igualmente necessária e importante do indivíduo, não vamos esquecer que todos possuímos os doze signos em algum setor do nosso mapa natal. O que faz a diferença é como cada um desses signos são utilizados, ou seja, o grau de consciência de cada indivíduo é que determina se suas ações são mais ou menos compatíveis com um processo de desenvolvimento.


Portanto, Peixes pode ser aquele que consegue se libertar das fronteiras do ego para se dissolver em uma união divina, ou pode ser o que se perde em uma névoa de ilusões. O potencial contido nesse arquétipo é o de dissolução, e ele pode ser utilizado, como no caso de todos os outros signos, de forma construtiva ou destrutiva. Não é correto afirmarmos que piscianos são espirituais, assim como também não é certo assegurar que são perdidos ou escapistas. O que pode se afirmar é que eles tem uma facilidade natural de se mesclar com as energias que o circundam. Como não sabemos com quais energias ele vai escolher se misturar, não podemos afirmar quais os resultados que ele obterá.


Na roda da vida vamos aprendendo a viver nesse plano. Nascemos, precisamos definir os limites da nossa individualidade, aprendemos a garantir nossa segurança material, emocional, a nos comunicar, a nos relacionar, a trabalhar para nosso próprio sustento e depois em prol da sociedade em que estamos inseridos, e vamos aos poucos compreendendo que não estamos sozinhos. Em Peixes o ciclo se fecha. Ali existe a perfeita compreensão de que todos somos um, e que o que acontece a um impacta em todo o resto. Peixes, através das suas características inatas de empatia e permeabilidade ao meio que o circunda, conhece profundamente essa verdade. Ele compreende que nada existe isoladamente nesse plano, e consegue perceber a vastidão do universo, em todas as suas possibilidades e dimensões.


Para esse signo pode ser difícil permanecer no aqui e agora, já que ele está em contato com o mar infinito e muitos mundos paralelos. Ele sabe que sonhos são realidades, e algumas vezes, muito melhores do que aquelas aqui palpáveis no concreto. Então, às vezes decide ficar mais lá do que cá, já que lá é mais bonito e estimulante. A vida nessa dimensão pode ser dura demais para o sensível pisciano. Toda a sua empatia e sensitividade o faz captar as frequências que o envolvem, e que na maior parte são desarmônicas e desequilibram seu frágil sistema. Ele não suporta esse mundo feio e agressivo, e então foge para outras dimensões as quais ele tem acesso. O escapismo é uma característica muito marcante desse signo, e pode se dar de maneiras mais construtivas ou destrutivas. Ele pode buscar refúgio na música, na arte, na poesia, no mar... Ou nos vícios, nas drogas, em mecanismos psicopatológicos de negação da realidade... Pode ainda direcionar para a espiritualidade essa sua busca por uma conexão com uma paz profunda.


Peixes faz a ponte entre as pessoas, entre os mundos, entre as diversas realidades. E, para isso, conta com a habilidade inata de sentir compaixão e empatia, e ser capaz de sentir como que em si mesmo as dores do outro. Enquanto ele não aprende a identificar quando essa sensação é realmente sua, e quando está apenas captando o ambiente, ele pode sofrer bastante. É comum para um pisciano estar bem, e de repente ficar ruim. Ele não entende o motivo da dor de cabeça, irritação, mal estar repentino, e não associa a algum lugar em que esteve ou alguém com quem teve contato. É muito rápido, e ele não consegue perceber que funcionou como uma esponja, absorvendo frequências que o desestabilizaram.


Precisamos compreender que só entramos em ressonância com aquilo que temos em nós. E, portanto, para o pisciano não adianta apenas aprender a como se limpar das energias que ele captou. Ajuda, claro. Mas é fundamental que ele comece a se perceber com bastante clareza, para compreender o que nele faz a conexão com as vibrações dissonantes com as quais ele entra em contato. Só através dessa percepção, ele vai conseguir mudar seu padrão e evitar ficar tão vulnerável.


Autoconhecimento portanto é fundamental para esse signo. Na realidade, é essencial para todas as pessoas, de todos os signos. Mas no caso de Peixes, se ele não começar a ter uma percepção clara de si mesmo, vai se envolver em muita confusão, em muitas ilusões, e seu sistema energético vai ficar tão bagunçado que seu corpo físico começará a sofrer com somatizações. Mas, ao contrário, se o pisciano conseguir se desenvolver na autopercepção, se dedicar a elevar o seu padrão energético, ele vai começar a se conectar com esferas bastante elevadas. E pode se tornar um curador muito eficiente, pois entenderá como ninguém as dores do mundo, já que as sente em si mesmo. Aqui entra o simbolismo do sacrifício muitas vezes associado a esse signo, o sagrado oficio de render-se a uma motivação maior e mais sublime que si mesmo. Peixes, em seu nível mais elevado, sabe que precisa se desligar da realidade material e se conectar com a verdade espiritual. É a rendição a algo maior que ele.


Outra coisa importante a respeito de Peixes, é que, se ele é o signo que está fechando um ciclo, ele também é o que antecede o começo de outro. Nesse sentido, Peixes é o pré Áries, o que vem antes do início, a fase intra uterina, a gestação onde estamos imersos na água do desconhecido. Peixes também possui essa conexão com o inconsciente, com os bastidores de uma situação, aquilo que não é claro. E aqui ele pode cair nas armadilhas do ego, e assumir um papel de vítima dos acontecimentos, pois não compreende a verdade. Ele então se torna pernicioso ao ambiente, espalhando a sua confusão. O Peixes perdido pode confundir suas percepções, achar que está se conectando com uma coisa e estar sendo canal de outra, e ser nesse caso um falso curador, que em última instância, engana-se a si mesmo.


Com regência tradicional de Júpiter e moderna de Netuno, tudo é muito para esse signo, e é preciso cuidado com todos os exageros. Até porque como vimos, ele se perde nas brumas. É altamente imaginativo e impressionável, vulnerável a todo tipo de conteúdo subliminar. Se ele não aprender a fluir com as suas águas, formam-se inchaços e edemas em seu corpo. Peixes precisa deixar-se transbordar em inspiração e em amor. Peixes é aquele que traz para essa realidade a possibilidade de um mundo ideal, que ele vislumbra e sabe que existe. Ele capta a perfeição divina e tenta traduzir para seus irmãos de outros signos. Portanto, sua maior contribuição para a humanidade são realmente os seus sonhos. É a partir do que ele traz, que pode nascer um mundo novo, com o início do novo ciclo em Áries.

132 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo