• Cecilia Leite

Saturno, o senhor do tempo

Quando se fala em Saturno muita gente já torce o nariz. Planeta ligado às restrições, às dificuldades, aos atrasos, normalmente é temido e mal falado. Mas vamos entender mais profundamente o significado desse sábio senhor.



Saturno na mitologia era filho de Gaia e Urano, que se uniram para povoar a Terra. Gaia era terrena e maternal, consciente dos limites. Urano era aéreo, idealista, olhava longe, e por isso era mais distante, achava que compromissos o prendiam. Saturno, o filho caçula, via os temperamentos antagônicos dos pais, e se uniu à mãe para usurpar o poder do pai. Castrou Urano e se tornou o soberano. Mas seus pais, que sabiam predizer o futuro, o alertaram que ele também seria destronado por um filho. Assim, ele se tornou um tirano, déspota, e devorava todos os seus filhos assim que nasciam. O único que escapou foi Júpiter, o caçula, que foi ajudado pela mãe a fugir. Mais tarde Júpiter, disfarçado de servo e ajudado por Métis, deu uma erva vomitória a Saturno, e resgatou todos os seus irmãos. E assim, tomou o poder para si.


Saturno foi então exilado, e durante esse tempo aprendeu os mistérios subterrâneos. Aproveitou o tempo para se aperfeiçoar, adquiriu muito conhecimento e muita experiência. Então voltou ao mercado. Agora como um rei justo, sem lutas de poder, em um reino chamado Idade do Ouro. Agora reina sobre os mortais e não sobre uma elite divina. Para os gregos, Saturno é Cronos, o tempo. O tempo que tudo devora, e o tempo que tudo resolve.

A mitologia conta muito sobre o significado do planeta. Entender o mito é perceber todas as relações e simbologias que ele carrega. Também saber sobre o planeta ajuda a dar mais sentido ao seu significado.


Saturno é o último planeta visível, e para a Astrologia Tradicional é também o último planeta (não se considera, como na Astrologia Moderna, Urano, Netuno e Plutão). Por isso, ele rege a forma, a construção na 3ª dimensão, e também os limites... Os transpessoais lidam com outras energias, mais abstratas, de vibração mais elevada, que fazem a conexão com outras dimensões de nosso ser.


Portanto, sem Saturno não se constrói. Sem Saturno as coisas não se realizam na matéria. Saturno restringe, exige, limita, mas ensina a competência. E essa exige tempo. E também disciplina, foco, resistência, todos esses atributos saturninos. Saturno cobra, critica, exige o melhor, porque quer que se alcance a mestria. Com Saturno não há atalhos, a vitória é construída passo a passo, como no mito de Capricórnio (regido por Saturno), onde a cabra sobe a montanha íngreme, lenta e cautelosamente até chegar no topo, no lugar mais alto.


Com Saturno o sucesso é garantido, se suas regras forem obedecidas. Dedicação, empenho, paciência, são outras palavras relacionadas a ele. E o tempo... Ah o tempo ensina demais... As coisas não acontecem quando nós queremos. Muita espera às vezes é exigida. E nesse período de espera como nos comportamos? Aproveitando o tempo para nos aperfeiçoar como Saturno no exílio, ou desperdiçando com coisas que não levam a nada? Refletimos sobre nossas atitudes e aumentamos nossa sabedoria, ou ficamos reclamando como crianças mimadas? Saturno é o amadurecimento. Nada vem antes do tempo. E o momento certo depende do nosso comportamento. Saturno está sempre observando como lidamos com cada situação: qual o nosso amadurecimento, qual a nossa dedicação a meta, qual o nosso grau de comprometimento...


Pessoas saturninas (com um Saturno forte no mapa) já nascem responsáveis. Muitas vezes a criança é tão amadurecida que parece um adulto em um corpinho. Pode lidar com restrições e responsabilidades desde cedo. São críticas dos outros, mas principalmente de si mesmas. Não precisam de uma outra pessoa fazendo cobranças, pois elas mesmas já se cobram o suficiente. Precisam aprender a relaxar. E muitas vezes é isso que o tempo ensina para elas. E vão ficando mais jovens conforme o tempo passa...


Se Saturno for utilizado corretamente, o sucesso é garantido. Mas se negligenciado a pessoa patina, patina, mas não consegue ir para frente. Ou então a pessoa se comporta como o déspota que Saturno foi antes da maturidade. O autoritarismo também é uma faceta desse planeta, quando ele não é bem compreendido. A repressão também pode acontecer, por excesso de crítica e cobrança. Onde quer que tenhamos Saturno no mapa precisamos lidar com responsabilidade, comprometimento, mas sem deixar exageros acontecerem. Esses exageros podem se refletir como bloqueios, de todas as naturezas, psicológicas e até físicas (cistos, nódulos, calcificações, são distúrbios de Saturno).


Saturno também é o medo, que pode ser uma precaução saudável que faz com que o desempenho de qualquer coisa seja ainda melhor, ou pode ser paralisante. Saturno exige persistência, pois ele testa muitas vezes. Aparecem obstáculos, que devem ser superados, para fortalecer a disposição, o foco, o caráter e a força de vontade.


Saturno leva cerca de 29 anos para dar uma volta no zodíaco e retornar para a exata posição do nascimento. É o famoso Retorno de Saturno, que acontece entre os 28 e 30 anos, e que normalmente é uma fase de grandes mudanças. Saturno vem cobrar o que foi feito nos últimos tempos... E redirecionar para os próximos anos...


Ultimamente, os atributos saturninos não são bem acolhidos. O imediatismo impera, e com ele vem a incompetência. E os resultados estão aí... Ninguém quer ser cobrado, mas também não desenvolve a responsabilidade interna necessária... E aí, a tendência é ir para extremos... E o que aparece é a face mais dura de Saturno. Ele não perdoa, tem a foice em suas mãos.


Não temos que temer Saturno. Quem está encarnado, com um corpo físico nessa Terra, precisa dele para construir a vida. É ele que materializa, é ele que ensina nessa dimensão. Ele é o sábio senhor, que aprendeu com o tempo e com as experiências. Estejamos cientes do papel dele em nossas vidas. E deixemos que ele nos traga a sabedoria e as recompensas que nos são devidas!

612 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo