• Cecilia Leite

Astrologia na saúde física e psíquica

A Astrologia atua em todas as dimensões do nosso ser, o que significa que seus efeitos se fazem presentes em várias esferas. Percebemos os padrões astrológicos na nossa forma de pensar, na forma de sentir, no nosso campo energético, no nosso metabolismo e, claro, também em nosso corpo.


Nosso corpo físico apresenta correspondências astrológicas, em seus órgãos e em suas funções. Os signos regem as regiões do corpo (e, em certa medida, as casas também correspondem a essas regiões) e, os planetas, as funções. Assim, seu mapa natal também retrata o seu corpo e seu funcionamento. E é possível, através dele, perceber os pontos mais sensíveis, as maiores vulnerabilidades, e a que comportamentos elas estão associadas. Como já descrito no texto Por que adoecemos? , existe uma correspondência entre os padrões de pensamento e as patologias manifestadas. Então, o mesmo aspecto astrológico se mostra, em um nível como uma determinada forma de pensar, e em outro como um desarranjo físico.



Os signos estão associados a partes do corpo, cada signo rege uma determinada porção. Começando por Áries, que rege a cabeça, já que essa é a primeira parte que vem ao mundo em nosso nascimento (por parto normal). Áries rompe, desbrava, precisa de ímpeto e coragem para os inícios, como no parto. Aliás a representação desse signo é o carneiro, que enfrenta os adversários com cabeçadas. Astrologia é cheia de símbolos e associações.


Na sequência vem Touro regendo a garganta, a boca, as tireoides, o pescoço. E depois Gêmeos, que rege os pulmões, nosso principal órgão de relacionamento com o meio (como já escrevi em O corpo como manifestação da alma), tema esse central para o geminiano. Braços e mãos também são regidos por Gêmeos (signo de Mercúrio, que comanda as habilidades manuais, e também a escrita... tudo tem uma conexão!). Gêmeos é um signo ligado ao movimento e também comanda nossos nervos no corpo físico.


Câncer está associado aos seios, e também ao estômago. Ambos ligados à nutrição, tema relacionado com esse signo, seja ela física ou emocional. Leão é regido pelo Sol, o centro de nosso sistema solar, a fonte da vida. E, portanto, no corpo rege o coração, o nosso centro e fonte de vida. Virgem tem relação com o Intestino Delgado. Como se sabe esse signo analisa, classifica, separa e esmiúça, exatamente a função do intestino de separar o que será absorvido e o que será eliminado. Hoje já se sabe da ligação entre intestino e cérebro (inclusive é no intestino que se produz a maior quantidade de serotonina), capacidade de análise e assimilação, atribuições virginianas.


O signo de Libra é oposto ao de Áries, e trata das parcerias. E, no nosso corpo rege os rins, órgão duplo que rege nossos relacionamentos (também bem explicado no texto O corpo como manifestação da alma). Escorpião, o signo das transformações e eliminações, rege intestino grosso, reto, ânus, bexiga, os órgãos excretores. Sagitário rege a região do ciático e também o fígado. Sagitário é o signo dos excessos, do exagero, e no nosso corpo quem lida com isso é o fígado. Capricórnio é regido por Saturno, aquele que estrutura, então em nosso corpo tem relação com os ossos. E também articulações, em especial joelhos.


Aquário tem em Urano uma de suas regências, planeta ligado à eletricidade. E, no nosso corpo, além de ter relação com tornozelos e sistema circulatório (seu signo oposto é Leão, que comanda o coração), trata de nosso sistema nervoso e seus desequilíbrios. A eletricidade em nosso corpo! Para encerrar, Peixes comanda os pés, mas também o sistema linfático e imunológico. O que faz sentido, já que Peixes é o signo onde as barreiras se desfazem, onde o ego perde a forma, as nossas defesas precisam cair. O sistema imunológico são as nossas defesas contra invasões externas, tema recorrente para os piscianos.


O exposto é apenas uma pincelada. É claro que o assunto é bastante complexo e exige um estudo muito aprofundado. Mas, apenas para exemplificar como tudo isso se manifesta, vamos supor que alguém tem Saturno em aspecto difícil com Vênus, ou Saturno tensionado em Libra. Saturno pode ser crítico e cobrador, já que é muito responsável. Libra são os relacionamentos. Se os aspectos são difíceis, existe a possibilidade da pessoa se sentir restringida nos relacionamentos, criar um bloqueio aí, não deixar as coisas fluírem. E no corpo físico, esse mesmo comportamento (a repressão na forma de se relacionar) pode causar pedra (cristalização é uma função de Saturno) nos rins (regência de Libra). Claro que nem todos que possuem esse aspecto vão apresentar pedras nos rins, tudo depende de como se vive o mapa, e seus aspectos.


Se, como no exemplo anterior, Saturno estivesse em Câncer, os nódulos poderiam aparecer nos seios (que são de regência canceriana). Aqui a dificuldade maior seria em expressar abertamente os sentimentos. E essa contenção, se cristaliza na forma de nódulos ou cistos nos seios. Já uma Lua em Gêmeos em dificuldades, indicando insegurança ao se relacionar com o mundo ao redor, poderia predispor à bronquite ou à asma. Um Marte em Aquário poderia predispor a torcer os tornozelos, por exemplo.


Temos várias combinações dessas em nosso mapa, algumas vivemos em seu potencial mais positivo, e com outras temos mais dificuldades. Onde temos mais resistências, normalmente, é onde haverá mais chance de gerarmos uma doença. Lembre-se que o que vem para o físico, é o conflito que não foi resolvido nas esferas mais sutis. Aparece no corpo justamente para o equilíbrio poder ser restabelecido.


Iremos apresentar todos os sintomas que estão em nosso mapa natal? Não. Mas tudo que se manifestar estará no mapa... Normalmente essas doenças aparecem durante um trânsito importante, mas o comportamento já vem acontecendo há bastante tempo. Nada começa do nada. O comportamento, ou o pensamento dissonante, está lá, como um aspecto do seu mapa a ser entendido e vivenciado. Mas trânsitos importantes servem de gatilho para ativar esse processo. Nenhum trânsito astrológico desencadeará aquilo que você não tem como semente no seu mapa natal.


Por isso, conhecer o mapa pode ser sim uma ferramenta de diagnóstico de desarmonias físicas oriundas de padrões pessoais. O astrólogo que conhece técnicas de terapias vibracionais pode, inclusive, utilizá-las para ajudar a aliviar os sintomas, lembrando que SEMPRE isso precisa ser acompanhado da tomada de consciência. Obviamente essa leitura não substitui a consulta médica e nem tem essa pretensão. São esferas de atuação diferentes. Mas uma pode contribuir com a outra. Não é papel do astrólogo tentar tomar o lugar do médico, até porque ele não tem essa competência. Mas ele pode ajudar no processo de entendimento e aceitação da doença, e, eventualmente poderá suavizar os seus efeitos. Pode também facilitar a compreensão de aspectos difíceis da personalidade que ainda não manifestaram sintomas físicos, mas que se forem negligenciados, podem vir a desencadear doenças em um futuro próximo ou distante...


Mas e as doenças que são genéticas? Também estão no mapa! Sim, nosso mapa natal é hereditário. Todos os nossos aspectos importantes são herdados de nossos ancestrais! Mas isso é assunto para um outro artigo...

98 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo