• Cecilia Leite

Os relacionamentos na Astrologia

Por que duas pessoas começam um relacionamento? O que faz com que duas pessoas tenham uma simpatia imediata? Ou às vezes uma aversão instantânea? Como os relacionamentos se desenvolvem?


Cada pessoa tem sua forma de se relacionar, suas necessidades, suas carências, seu jeito de se comunicar, seus anseios pessoais... E projeta no outro essas suas intenções... Ocorre que o outro tem a sua própria maneira de perceber as coisas e lidar com os relacionamentos... E aí começam as complicações. Queremos que o outro enxergue o mundo segundo a nossa lente, e portanto aja conforme nossas expectativas. O que certamente não irá acontecer... Se conseguirmos entender o panorama do outro, e principalmente ter clareza do nosso, os relacionamentos ficam muito facilitados, podendo acontecer sem ilusões.



Sinastria é a técnica utilizada para analisar a compatibilidade entre dois mapas. Ela pode ser feita para qualquer tipo de relacionamento: casais, pais e filhos, irmãos, amigos, sócios, e até da pessoa com relação à empresa em que ela trabalha, se soubermos com exatidão os dados de fundação da mesma... O objetivo é entender a dinâmica do relacionamento, os pontos fáceis, de convergência, e os pontos mais desafiadores. E também qual o caminho do relacionamento, para onde ele levará...


A primeira coisa que precisa estar bem entendida é o Mapa Natal de cada um. Pois cada pessoa tem seus anseios, sua forma de se comunicar, suas dificuldades, e, muitas vezes, se não reconhece isso, irá projetar no outro. Joga-se a culpa no relacionamento, quando a dificuldade está na própria pessoa. Por isso, inicialmente, é fundamental, ficar bem entendido qual a natureza de cada um. Por exemplo: Tem gente que precisa conversar e adora uma DR. Outros não tem essa habilidade, nem essa necessidade, muito menos essa vontade. E, quando um quer conversar, e o outro não, precisa estar bem claro para ambos, que pode não ser pessoal, que pode não ser porque o outro não gosta de você, simplesmente é como ele funciona... Daí você tem a opção de aceitar que o relacionamento será assim, e aprender a conviver com isso, ou de perceber que, para você, a necessidade de conversar é primordial, e, portanto, é melhor deixar esse relacionamento. Precisa-se avaliar o todo, para saber o que para nós é fundamental e não conseguimos abrir mão, e o que fica secundário porque outras coisas tem mais importância. E para o outro também, a mesma coisa...


Conhecendo-se a própria natureza, e a do outro, é possível se relacionar sem ilusões. Precisamos entender que o temperamento de uma pessoa não muda, e, que certas concessões no decorrer da vida tem um preço futuro. Pois a pessoa pode se sentir frustrada, se sua natureza for sempre abafada. Por isso, é muito importante para um relacionamento funcionar bem, que se tenha muita consciência do que É o outro realmente, e do que eu GOSTARIA QUE FOSSE o outro. Nós temos necessidades que precisamos preencher, e, devemos entender que muitas vezes o outro não tem condições de se adequar ao que buscamos. Repito: se reprimirmos a nossa natureza (ou tentarmos reprimir a do outro) haverá frustração e cobranças futuras. Existem necessidades inerentes que precisam ser preenchidas.


A Sinastria não vai responder se um relacionamento vai dar certo. Isso sempre dependerá de como as duas pessoas envolvidas vão agir nessa relação. Da mesma forma não existe relacionamento bom e relacionamento ruim. Muitas vezes uma Sinastria difícil pode trazer um relacionamento muito produtivo, de aprendizados e evolução para os dois lados. E, às vezes, uma Sinastria cheia de aspectos fáceis pode entediar os envolvidos. Tudo depende da maturidade de ambos.


Quando duas pessoas se conectam de alguma forma, o mapa de uma se relaciona com o mapa da outra. Cada planeta de um, interage com todos os planetas do outro, numa trama bastante complexa. Assim, verificamos, uma a uma, essas relações. E conseguimos compreender como as necessidades de um podem (ou não) ser satisfeitas pelo outro. Vemos ainda qual a área da vida de um que é afetada pelo planeta do outro (também um a um). E conseguimos perceber como (e onde) cada um sente a presença do outro. Às vezes um parceiro ativa a área financeira do outro, o que indica que haverá um estímulo para ganhar (ou gastar) dinheiro. Em outras vezes eles podem ativar a área profissional, ou de viagens, ou a do casamento, ou a do prazer...


Podemos perceber claramente que pessoas diferentes causam reações diferentes em nós. Umas nos despertam simpatia imediata, outras antipatia. Com algumas temos vontade de sair, passear, e com outras queremos ficar em casa. Algumas nos trazem paz e bem estar, outras nos motivam a trabalhar ou a aparecer na sociedade. Com algumas temos vontade de conversar e contar nossos segredos, e com outras não nos sentimos a vontade nem para dar um bom dia. Isso acontece porque cada pessoa (com seu mapa) ativa nosso mapa de forma diferente. Existem relacionamentos baseados na atração sexual, outros na amizade, outros na segurança... Tudo depende da interação dos mapas, do que eles ativam mutuamente.


É muito curioso, porque a vida é sábia, e coloca no nosso caminho pessoas que vão trazer algum tipo de aprendizado. Há um tempo atrás, uma moça que tinha feito o mapa comigo me procurou para eu olhar o mapa do filho. Ela estava tendo muitas dificuldades com ele e queria entender melhor o que estava acontecendo. Analisando o mapa do menino, isoladamente, não havia nada muito complicado, face a tantas queixas da mãe. Quando sobrepus os dois mapas, vi que o Marte (planeta ligado à força de ação, e também à agressividade) dele, ativava um aspecto muito difícil do mapa dela. Ela sentia raiva pois o tempo todo ele estava mexendo em pontos desafiadores para ela. Ou seja, de uma forma ou de outra, precisamos olhar para as nossas dificuldades. Vão aparecer pessoas que nos cutucam (nesse caso o filho, que não dá para escapar...), mas precisamos entender que o desafio é nosso. O outro só o ativa. É o NOSSO mapa, o nosso caminho de evolução.


Na Sinastria pode-se ainda ver o mapa composto, que mostra o propósito e as características do relacionamento. E podemos fazer a sobreposição do mapa de cada um com o mapa composto, para entender como cada parte reagirá a esse relacionamento.


Em resumo, conseguimos entender o potencial existente no relacionamento, e as dificuldades que poderão ser encontradas. Mas o que faz a diferença é como cada um agirá nas situações que se apresentarem. Interaspectos de Saturno, por exemplo, podem mostrar uma das partes restringindo o outro em algum setor. Mas também costumam estar presentes em todas as relações duradouras, pois é o planeta do comprometimento. Aspectos de Vênus e Marte podem indicar atração física presente. Mas para um casamento durar, ter base, são desejáveis aspectos de Sol e Lua que mostram ligações mais essenciais. As ligações de Mercúrio dizem respeito a forma de comunicação entre as partes, o que costuma ser bastante importante em qualquer tipo de relacionamento. Ligações que envolvam qualquer planeta de um, com o ascendente do outro, mexem na atração (ou antipatia) imediata entre os dois. E, normalmente, em casais, aspectos com o descendente estão sempre presentes.


A Sinastria pode ser uma ferramenta excelente para se entender o que esperar de um relacionamento. Também para saber qual a melhor abordagem para cada situação. Mas precisamos lembrar que ninguém é responsável pela felicidade alheia, cabe a cada um buscar sua realização. Precisamos estar inteiros em nós mesmos e muito conscientes de quem somos e do que queremos para poder sustentar relacionamentos saudáveis. Pessoas carentes, que buscam o amor no outro, estarão sempre frustradas, e com medo da perda.

Um relacionamento saudável precisa nutrir as duas pessoas envolvidas, e não desgastá-las. E ele só acontece em bases reais e verdadeiras, sem ilusões e expectativas. Autoconhecimento é sempre fundamental...

83 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo