• Cecilia Leite

A intenção de cada signo

Uma maneira de entender os signos é compreendendo que eles possuem intenções internas que precisam ser satisfeitas. Isso é o que vai motivar aquele comportamento mais visível atribuído a cada um deles.


Todos nós temos os 12 signos em nosso mapa natal, ou seja, possuímos as 12 qualidades representadas por eles em nossa personalidade. Em alguma área da nossa vida, atuaremos daquela forma, com aquela intenção.


Vamos então a elas!


Áries: tem a intenção de nascer, de começar. E por isso, tem que ter ímpeto e coragem e às vezes precisa ser impulsivo e até bruto para se lançar em um novo projeto sem deixar que nada nem ninguém atrapalhe a sua meta.


Touro: a intenção é de manter em segurança aquilo que conseguiu. E assim ele pode se tornar acumulador, apegado, acomodado, porque não quer perder aquilo que conquistou. Ou pode ficar rico!


Gêmeos: a intenção é obter informações, e para isso ele pode utilizar várias estratégias: ler, estudar, conversar, trocar, viajar. E para obter o que precisa ele pode se tornar muito versátil, ou então bastante volúvel!


Câncer: a intenção é conseguir segurança emocional. E, para isso, pode querer cuidar, para garantir que também será cuidado... Pode ser uma pessoa carinhosa e nutridora, ou um manipulador emocional se sentir que está ameaçado... Facilmente se fecha na concha para se proteger...


Leão: tem a intenção de ser visto, reconhecido. E para isso pode brilhar naturalmente com seu carisma, ou se tornar autoritário para impor a sua presença...


Virgem: precisa se sentir útil, indispensável, e para isso trabalhará arduamente e buscará a perfeição. A sua crítica (e principalmente auto crítica) poderá ser um ponto muito forte na qualidade do trabalho executado, ou pode acabar com sua autoestima, pois nunca se considera bom o suficiente.


Libra: tem a intenção de ser aceito. E para isso será diplomata, estrategista, gentil, porque tem pavor de não ser aprovado. Pode ser alguém extremamente agradável e de fácil convivência, ou um dissimulado que dança conforme a música...


Escorpião: a intenção é eliminar o que não faz mais sentido. E para isso está em constante transformação, abandonando hábitos, pessoas, situações, e renascendo a cada desafio. Uma fortaleza psíquica que cura ou se vinga. Por ter que lidar com a dor se fortalece, ou se fecha e fica inacessível...


Sagitário: a intenção é buscar o que está longe, além. Por isso gosta de viajar, de conhecer outras culturas, outras filosofias, talvez se envolver em uma religião. O mundo de lá interessa mais do que o daqui. É aventureiro. Por isso ele não fica. Compromissos podem ser difíceis.


Capricórnio: precisa construir, subir a montanha, chegar ao topo. E para isso será muito determinado, disciplinado e competente. Ou ambicioso, rígido, sem escrúpulos.


Aquário: a intenção é enxergar o futuro, viver experiências novas, trazer o progresso e a evolução, estar a frente. Por isso, apesar de estar integrado no grupo e ter um leque grande de amigos, não pode se envolver muito, pois envolvimento segura e amarra. Então acontece o junto, mas separado. O amigo sociável, mas que não se sente a vontade com muita intimidade. O visionário ou o excêntrico.


Peixes: tem a intenção de ir para um paraíso e fugir desse mundo hostil, transcender a matéria. Para isso se utiliza das artes, da música, da espiritualidade, do mar. Ou dos vícios.


O zodíaco é o caminho da alma. Áries representa o nascimento, e Peixes a transcendência, e todos os signos entre eles vão mostrando o desenvolvimento da personalidade em seus vários aspectos, do começo ao fim. Todos esses temas compõe a nossa personalidade, alguns com mais ênfase que outros. Quando temos um planeta em um signo, ele irá atuar daquela maneira, com aquela intenção. O planeta está ali posicionado para conseguir as coisas daquela casa, com a dinâmica daquele signo. O nosso signo solar por exemplo não pode ser deixado de lado, quer estejamos conscientes, ou não, estamos sempre atuando de maneira a preencher a intenção que ele possui.


Você pode estar lendo e pensando: mas eu não sou assim... Não podemos esquecer que o mapa é uma teia complexa que precisa ser desvendada. Existem os arquétipos puros que é o que descrevemos, e existe a tonalidade de cada um. Somos uma combinação de fatores, uma composição única. E existe também a possibilidade de você não ter a consciência de que vive esse arquétipo, e é para isso que utilizamos o mapa, para ajudar a trazer à luz aspectos ainda negligenciados, necessidades legítimas que não conseguimos perceber em nós.


Não tem signo bom e signo ruim. Se você sabe o que ele quer, vai utilizá-lo da melhor forma. Conscientemente. A chave do sucesso é saber COMO utilizar essas intenções, que são legítimas em nós e não podem ser reprimidas. Elas podem ser bem conduzidas e se tornar o nosso talento, ou mal direcionadas e ser um ponto fraco da nossa personalidade.


Se observarmos os signos que temos em cada casa do nosso mapa (no texto Uma jornada pelas doze casas falo do tema de cada uma delas), teremos alguns indícios de qual a melhor forma de abordar cada setor da nossa vida. Claro que uma leitura individual é muito mais assertiva, já que o posicionamento dos planetas é o que faz toda a diferença. Mas já dá para começar a ter uma ideia da melhor maneira de lidarmos com cada questão da nossa vida, de acordo com nossa energia.


A astrologia precisa ser compreendida com o coração, vivenciada. Somente através da experiência e da observação conseguimos entender a essência que está ali representada, através de um gráfico, que é a mandala astrológica. Precisamos perceber que não se trata de conceitos intelectuais, e sim de uma simbologia profunda que precisa ser captada em seu aspecto integral.

156 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo